PROF. PAULO SÉRGIO

PALESTRANTE  INTERNACIONAL

Sócio-Diretor do

GUARÁ SERVIÇOS DE

CONTABILIDADE

guara.png
Buscar
  • Jeff Porciúncula

Carreira Fastfood e obesidade atitudinal.

Os lanches fastfood são uma boa pedida para quem não tem muito tempo. Contudo, a maioria deles traz uma série de consequências negativas para a saúde das pessoas, dentre as principais: obesidade, refluxo, gastrite, e problemas estomacais diversos.

Na carreira, é a mesma coisa. Muita gente quer ascender profissionalmente, seja como colaborador, empresário, profissional liberal, de uma maneira rápida, e sem muito esforço, exatamente como são preparados os pratos fastfood.

Todavia, assim como as consequências pessoais dos lanches, uma carreira focada no sistema fastfood também traz sérios transtornos, dentre os principais: ansiedade, déficit de atenção, angústia, e o pior de todos, que eu chamo de obesidade atitudinal.

As pessoas estão deixando de lado a atitude. É engraçado, porque elas querem o sucesso na vida profissional rápido, no entanto, são lentas, vagarosas, quando o assunto é agir, praticar, correr atrás. Infelizmente, estamos vivendo uma época onde parece que tudo tem de vir pronto, e até embalado, caindo do céu em nosso colo.

Essa obesidade atitudinal vai causar, e já está causando, sérios estragos na vida profissional das pessoas, e isso terá, obviamente, uma repercussão na esfera pessoal, nos relacionamentos como um todo, seja intra ou interpessoal, pois, se a pessoa não consegue o que quer, de maneira rápida e fácil como pedir um lanche, tende a ficar mais entediada, ansiosa, nervosa, o que a fará não ter a paciência ativa de esperar o tempo de as sementes profissionais que plantou, germinarem. Aliás, boa parte das pessoas, atualmente, querem o fruto, sem sequer semear. E outras que semeiam, querem que os outros cuidem da semente.

Não dá para pedir uma promoção de função, como se pede um lanche no drivethru. Não se pede para o cliente comprar mais, como se pede um adicional de batata frita no Mcdonald. O lucro da empresa não aumenta quando você pede ao cliente que pague mais, como seu sanduiche aumenta ao pagar um valor extra no Burger King.

Na carreira, nos negócios, no empreendedorismo, na imensa maioria das vezes, é preciso tempo, calos e lágrimas, para subir os níveis, diferentemente dos jogos de vídeo game e lanches fastfood, que é só conseguir um bônus, ou pagar uma taxa extra, que você sobe de nível no jogo, ou recebe um sanduba mais irado.

Tenho convicção de que algumas pessoas conseguem inverter esse processo, ou seja, meteoricamente atingem o topo da vida profissional. São raros esses cases de sucesso, e quando não são tão raros, a forma, o modelo seguido, irrompem a ética, e são fugazes.

O desejo frenético por sucesso, riqueza, uma carreira altamente bem-sucedida, mas sem calos, lágrimas e tempo, é irreal, e causa tantos males quanto uma alimentação baseada em fastfood, que, de vez em quando, são excelentes, mas, se ingeridas com muita frequência, causam um tremendo mal à sua saúde.

Portanto, se você está há tempos tentando, e nem tudo saiu como você imaginava, e se vê longe de conquistar aquilo que sonhou que conseguiria em determinado tempo, não se desespere. Eu sei bem como é isso, e também sei que, talvez, você só precise fazer alguns ajustes, tomar algumas medidas mais radicais quem sabe.

Se você tem atitude, e não está esperando receber tudo pronto e rapidinho, arrisco a dizer que está no caminho certo, e que é só uma questão de intensificar ainda mais suas atitudes, alinhar a direção e/ou a velocidade, que o seu sucesso vai acontecer.

Não sonhe com uma carreira, uma empresa fastfood, pois certamente lhe faltarão os nutrientes necessários para conquistar ou manter o sucesso que você sonha. Afinal, a obesidade corporal surge, essencialmente, pelo excesso de alimentação errada, e a obesidade atitudinal surge pelo excesso da falta de atitude, e você não quer uma vida e uma carreira assim, não é?

Forte abraço, fique com Deus, sucesso e felicidades sempre.

Prof. Paulo Sérgio

Empresário e Palestrante

1 visualização