Buscar
  • Jeff Porciúncula

Jogue fora o chicletes

Nossa vida, pessoal e profissional, tem muito a ver com uma goma de mascar, ou, como praticamente todos nós chamamos, chicletes.

Eu lembro que quando era criança, ficava mascando um chiclete Ploc, o dia todo. Para piorar, como a situação era brava financeiramente, à noite, antes de dormir, grudava-o na cabeceira da cama, e no outro dia pela manhã, pegava-o novamente, passava no açúcar, e voltava a mastigar. Imagine que coisa maravilhosa e higiênica (risos).

Mas o que isso tem a ver com nossa vida pessoal e profissional?

Muitas pessoas agem da mesma forma, seja num relacionamento, na carreira, num negócio. Assim como o chiclete, que perde seu sabor rapidamente, mas ficamos mastigando, só por hábito, ou, porque criamos alguma estratégia mirabolante, para ver se isso recupera o sabor, as pessoas ficam em relações destrutivas, pessoais e profissionais.

Casamentos que só fazem mal, uniões, namoros autodepreciativos, insossos, doentios, sofríveis, carreiras sem perspectivas, negócios que dão prejuízo, são como um chiclete que você não joga fora. Não tem mais sabor, mas você fica segurando, não se livra dele, na esperança de algum milagre adoçar essa situação, como eu fazia na infância, colocando açúcar no chiclete.

Pare com isso. Por mais que pareça que um dia vai dar certo, não funciona dessa maneira. A esperança é uma coisa maravilhosa, porém, pode ser catastrófica quando só temos ela, acompanhada de estratégias ruins.

Se você está sofrendo demais, seja numa relação pessoal ou profissional, e além disso, fazendo a outra parte, ou outras partes sofrerem, jogue fora esse "chiclete".

Assim como um chiclete, essas relações são baratas. A partir do momento em que não lhe dão mais prazer, motivação, entusiasmo, elas perdem o valor, e precisam acabar. Não fique com elas grudadas na sua alma, na sua mente, assim como eu fazia com o chiclete na cabeceira da cama.

Para falar a verdade, depois que eu pegava o chiclete pela manhã, e colocava açúcar nele, não tinha um gosto bom, a não ser do açúcar. Então, eu não precisava mais do chiclete, mas sim, só do açúcar.

Do mesmo jeito é na sua vida, na sua carreira, na sua empresa. Você fica apegado, grudado nisso que tem, por hábito, costume. Mas se nada disso lhe faz bem, e não adoça mais sua existência, você não precisa mais, já pode jogar fora.

Pare de sofrer nessa relação. Se é pessoal, vá falar com o outro, dialoguem mais. Não entre nessa onda de "já vai passar, ele ou ela é assim mesmo, mas sei que tudo vai mudar com o tempo". Vai sim mudar, para bem pior, se ambos forem deixando para depois, até chegar ao ponto de seus próprios filhos sentirem vergonhas de ficarem em casa, tamanha são as desavenças entre vocês.

Se é profissional, chame seu chefe, seu colaborador, e falem abertamente sobre o que está fazendo essa relação perder o "doce" que tinha antes, quando começaram a trabalhar juntos. Se simplesmente forem "levando", todos pagarão um preço caro demais, pois os resultados serão afetados, as vendas, os lucros, atingindo, claro, a situação financeira em casa, pois metas não serão alcançadas, cobranças exageradas serão feitas, no entanto, sempre sem qualquer retorno positivo.

Se desgrude disso, para ter a possibilidade de viver uma vida diferente, uma relação prazerosa a dois, um trabalho com propósito, que lhe encha de orgulho em realizar, mesmo que, por um tempo, não renda tanto, porém, você sabe que está fazendo o que precisa fazer, para melhorar. Só assim vai se levantar com ânimo, entusiasmo, fé, e criar estratégias mais inteligentes do que ficar martelando em ferro frio. Só assim é que você parar de ficar focado numa frequência mental negativa, por viver tentando sem nada sair como espera. Sem largar o chiclete, vai continuar agindo igual, e querendo ser e ter resultados diferentes.

É só desse jeito, jogando fora esses “chicletes”, que vai parar de ruminar para ir a uma pizzaria com a família, ou para o trabalho sem lamentar e sem ficar imaginando a desgraceira que lhe espera.

Mas, obviamente, tenham essa conversa, e essas atitudes, antes que a relação perca totalmente o sabor, pois depois disso, nada mais vai resolver, e a vida de vocês será igualzinho o meu chiclete amanhecido na cabeceira da cama.

Pense nisso, fique com Deus, sucesso e felicidades sempre.

Prof. Paulo Sérgio

Empresário e Palestrante

4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

PROF. PAULO SÉRGIO

PALESTRANTE  INTERNACIONAL

Sócio-Diretor do

GUARÁ SERVIÇOS DE

CONTABILIDADE

guara.png