Buscar
  • Jeff Porciúncula

O sucesso entra pelas frestas

Era sábado, já à noitinha, e meu pai, que dormia com as galinhas, se dirigia para sua cama. Mas antes disso, falei a ele, em alta voz, devido à sua surdez: “pai, precisamos colocar sarrafos na parede, porque à noite entra muito vento pelas frestas". E ele, num tom educador, responde "polaco (era como ele me chamava), amanhã cedo o sol vai passar por essa mesmo fresta".

Era verdade. Eu não tinha me dado conta daquilo, claro, eu tinha apenas 10 anos de idade. A mesma fresta por onde o vento passava, era por onde o sol entrava durante o dia, iluminando e esquentando o ambiente.

Com a nossa vida é a mesma coisa. Há tantas dificuldades que só olhamos para elas. Mas, a mesma situação que aparenta ser negativa, pode ser a oportunidade se mostrando de um jeito diferente.

Às vezes, o frio da noite, é só um sinal de que também há espaço para o calor da manhã. Tudo depende da forma como iremos interpretar e agir em cada momento.

Talvez você tenha sido demitido injustamente, ou quem sabe, seja um bom líder que trata bem os seus colaboradores e parceiros, mas só recebe a ingratidão deles. Pode ser que esteja dando o seu máximo, cuidando dos negócios alheios como se fossem seus, mesmo assim, acha que não tem o devido reconhecimento.

Quem sabe seja um profissional liberal, autónomo, batalhando dia e noite para honrar seus compromissos, no entanto, parece que está esmurrando a ponta de uma faca, e até quem você achava que lhe apoiaria, é quem mais bate pesado nos seus projetos e sonhos, querendo que você arrume um emprego com carteira assinada, e enterre seu propósito de vida.

Ou seu vento na fresta pode ser o fato de não ter experiência, estar começando no mercado de trabalho, perdido, sem rumo, e com dúvidas do que dizer numa entrevista, com medo de não saber escolher a carreira certa.

Seu vento talvez seja uma doença, patologia, aguda ou não, própria, ou de alguém especial, e você não se vê capaz de encontrar nada iluminado nisso.

Pode ser que você se dedique a família, ao cônjuge, e esse troglodita não reconheça seu valor, desvaloriza seu potencial, e acha que você não merece mais nada, pois a parte financeira mantida por ele pode substituir respeito, carinho e seu valor humano. Ou a parceira que só enxerga seus erros e o critica pela vida humilde que têm, culpando você por todas as dificuldades que passam, sem nem notar o duro que tem dado para levar o pão de cada dia à mesa.

Tudo isso significa o vento das noites frias, entrando pelas frestas das paredes da sua história.

Porém, se você acredita no sucesso, tem de se agarrar naquele fiozinho de esperança, e procurar pelas oportunidades escondidas nessas situações, pelos raios do sol que vão entrar para iluminar seu dia. Por mais que, inicialmente, você não os veja, eles entrarão. Se não fizer isso, ficará igual a mim, que não notava o sol do dia seguinte, pois estava tão focado no vento da noite anterior, que não percebia a beleza que invadia o quarto todas as manhãs.

Quem foi demitido pode se sair muito bem no novo emprego que vai arranjar. Pode demorar um pouco, doer, vir aquela angústia, mas isso passará, cicatrizará, tornando você alguém mais preparado para outra empresa, carreira. Ou, talvez, seja sinal de que está na hora de empreender o negócio próprio.

Quem cuida bem da equipe e não recebe o comprometimento que espera, ganha a oportunidade de saber com quem pode contar, e quem deve dispensar, tomando decisões melhores para que as vendas, a produtividade e o lucro, aumentem.

Se o problema é a falta de reconhecimento por tudo o que você faz pelos negócios dos outros, pode pensar que isso é injusto, e que não tem como notar os raios do sol brilhando, já que o sucesso parece só entrar na casa alheia. Porém, pode ser que seja a hora de rever suas aptidões, habilidades e a geração de resultados, para analisar se o problema não está nisso, em vez de na empresa na qual trabalha.

Às vezes ficamos tão presos no mesmo lugar, que achamos que estamos avançando, arrasando, contudo, não nos damos conta de que paramos de evoluir, e queremos que reconheçam nosso esforço e tempo de casa, sem perceber que estagnamos, e o que fazíamos bem, já nem é mais útil. Se demorássemos mais para enxergar isso, talvez fosse tarde, então, foi justamente o vento pela fresta que nos possibilitou olhar para nossos fracassos, na busca pelo sucesso.

Se já está atuando como profissional liberal, autônomo, sabe bem a importância de enxergar oportunidades onde todos veem problema. E sabe que se quiser se dar bem na vida, não pode depender mais do apoio de ninguém. Pode contar sim com as pessoas, mas, nunca entregar o seu sucesso nas mãos dos outros.

Quanto ao primeiro emprego, os medos das entrevistas pela falta de experiência, em vez de focar nisso, desafie seu entrevistador, dizendo que tem tanta certeza do seu potencial, que trabalhará de graça até que cumpra o que esperam que você faça. Geralmente para ir longe, é preciso se jogar na frente de um trem, em movimento. Falar assim com quem entrevista você é ousado, arriscado, mas o não você já tinha, não é?

Se a parceira ou o parceiro só deixam entrar o vento pelas frestas, está na hora de um longo diálogo, enquanto tomam café, para acertarem as arestas, ou concluírem que não merecem sofrer, que a vida é curta demais para serem felizes só de vez em quando. Se a relação não esquentar pra valer, pode ser que seja melhor derrubar todas as tábuas de uma vez, em vez de ficarem sofrendo em conta gotas, com aquele ventinho frio incomodando vocês toda noite.

E quanto às doenças, os males que nos acometem, ainda que realmente pareçam um vento frio vindo do norte, e que vai levando nossa vida mais próximo do fim, é geralmente nesses momentos que o Criador nos permite contemplar a vida e as pessoas que sempre foram raios de sol, porém, não dávamos tanta importância a toda a luz que nos traziam. É nessas horas que aprendemos, de fato, a viver com toda plenitude. Não raras vezes, é isso que nos cura.

A questão crucial para que o sucesso atravesse as frestas da sua vida, é a que o meu velho e saudoso pai disse: a mesma fresta por onde passa o vento (dificuldades, problemas), também entra o sol (oportunidade, solução). Tudo vai depender de para onde estará focada sua visão e suas atitudes. Só precisamos nos agarrar a essa ideia e olharmos para a luz do sol, em vez de focar no vento frio.

Desse modo, em vez de ficar tentando tapar as frestas da sua vida (adversidades, medos, fracassos), deva se conscientizar que é por elas mesmas que entrará a luz que iluminará os seus sonhos.

Forte abraço, fique com Deus, sucesso e felicidades sempre.

Prof. Paulo Sérgio

Empresário e Palestrante

www.professorpaulosegio.com.br

0 visualização

PROF. PAULO SÉRGIO

PALESTRANTE  INTERNACIONAL

Sócio-Diretor do

GUARÁ SERVIÇOS DE

CONTABILIDADE

guara.png